Uma vida de amor e dedicação à natação

Atletas

Por: Ana Scherer

A minha introdução à natação não teve nada de extraordinário. Como é comum às famílias que moram em cidade praiana, a minha mãe apostava na modalidade como um seguro de vida. Mas o que começou desta forma despretensiosa acabou sendo a descoberta de uma grande paixão.

Eu passei a amar a natação! Eu amava treinar, competir e, é claro, ganhar. Com a natação vi minha autoestima tomar corpo, meus níveis de energia crescerem acima da média, meu foco desenvolver-se e dar-me clareza absoluta dos meus objetivos. Havia encontrado o meu lugar no mundo.

A natação me levou para longe e logo cedo. Com apenas 16 anos saí do Rio Grande do Norte e fui atrás de técnicos e competições que me desafiassem e me ajudassem a crescer no esporte. Passei por Recife e Belo Horizonte antes de chegar aos Estados Unidos, onde conquistei uma bolsa de estudos na universidade com uma das equipes mais competitivas do país: a Arizona State University. Pela seleção brasileira de natação alcancei inúmeros títulos nacionais e sul-americanos, além de tantos outros em eventos internacionais, entre eles, a medalha de prata no Pan-americano de Cuba (1991) e o prestigioso título de All-American pela Arizona State University. Competindo como nadadora master, fui tripla campeã mundial e, mais recentemente, ganhei seis medalhas no Maccabiah Games (Olimpíadas Judaicas) realizada em Israel (2013).

No entanto, entre as conquistas advindas do esporte, as que mais me marcaram foram as que vieram de fora das piscinas. O fato de ter sido um exemplo para várias nadadoras da minha época me deixa muito orgulhosa. Nunca hesitei em dar voz à causa da natação feminina em muitas situações de injustiças cometidas por entidades esportivas nacionais e fico feliz que a minha trajetória tenha contribuído para o desenvolvimento da modalidade no Brasil entre as mulheres.

A natação me ajudou a ser persistente, resiliente, determinada, independente, focada nos meus objetivos e, acima de tudo, a crer em mim mesma e nunca desistir dos meus sonhos. A convivência esportiva me proporcionou conhecer pessoas e lugares fantásticos, me presenteou com amigos que cultivo até hoje, inclusive com o meu marido, que conheci através de meu companheiro de equipe Fernando Scherer – eles são irmãos.

E também foi graças a natação que entrei no mundo dos negócios fundando a Hammerhead com meu marido Eduardo e meu cunhado Fernando. Hoje, meu maior orgulho é poder investir em atletas que, assim como eu, amam a natação e perseguem seus objetivos com paixão e foco.

Não existem comentários, envie o seu