Para chegar ao topo é preciso MUITA preparação física

Você Sabia?

Muitas horas de treino na piscina, alimentação balanceada e diversas outras atividades complementares compõem um conjunto de ações que o atleta de ponta precisa estar disposto a cumprir para alcançar o alto rendimento. Por trás de toda essa preparação existe um grande staff que trabalha duro para que os objetivos sejam cumpridos.

Um desses profissionais é Felipe Martins, que desde 2016 é responsável pela preparação física de 30 atletas do Minas Tênis Clube, um dos maiores clubes da América Latina, além de prestar assessoria esportiva para atletas amadores, de performace ou quem busca qualidade de vida. Felipe conhece bem a exaustiva rotina nas piscinas e fora delas, pois durante 15 anos foi nadador profissional, tendo representado o Brasil em etapas da Copa do Mundo nas provas dos 50m e 100m borboleta.

“A preparação física na natação é considerada uma das mais complexas para se trabalhar. Isso se dá pelo fato do deslocamento ocorrer no meio líquido e sofrer a influência de outras variáveis como o arrasto (resistência da água) e a flutuabilidade”, explica Felipe, formado em Educação Física pela Unicamp.

Na era da tecnologia, a preparação física segue fatores de força e resistência. Em síntese, o trabalho objetiva aumentar a força propulsiva minimizando ao máximo o aumento do arrasto.  Para isso, algumas esferas do treinamento devem ser respeitadas. “A curva de força e a velocidade (priorizar o ganho de força nas velocidades de contração muscular que o atleta utiliza na prova principal), além de trabalhar de forma específica sob a curva de comprimento tensão (amplitudes utilizadas no nado), apenas para citar alguns exemplos”, comenta.

Para obter os melhores resultados, o preparador afirma que é preciso respeitar cada indivíduo e suas condições. “É essencial conhecer e monitorar os atletas, já que cada pessoa responde de forma diferente ao treino e ao destreino. Outro fator importantíssimo é a “Zona de Aceitação”. Ao trabalhar com atletas de alto rendimento e com elevado nível de experiência é relevante respeitar e entender esse background, ajudando assim nas orientações e planejamentos”, alerta.

Além de fazer bonito nas piscinas, Felipe revela outra preocupação dos atletas. “Todos gostam de fazer uma carga maior de abdominais para sair literalmente bem nas fotos e exibir seus ‘tanquinhos’”, brinca o preparador.

Texto: Nill Cavalcante, NC Assessoria de Comunicação

Não existem comentários, envie o seu