Nesse novembro azul, vamos cair na piscina?

Você Sabia?

Novembro é o mês de conscientização sobre o câncer de próstata, segundo tipo mais comum em homens, com cerca de um milhão de novos casos todo ano no mundo. O seu diagnóstico precoce é fundamental, pois se trata de um câncer curável. A cor utilizada para ilustrar a campanha é a azul, que se assemelha muito a das piscinas, e nos faz lembrar que a natação pode ajudar na prevenção deste tipo de câncer.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), estudos mostraram que o exercício é efetivo para a diminuição do risco do câncer de próstata, além de ser importante para apressar a recuperação dos casos diagnosticados e evitar sua recorrência. Dentre os esportes citados como benéficos para prevenção foi apontada a natação, pois se trata de uma modalidade completa, que faz você refletir mentalmente, além de fortalecer a musculatura como um todo, sem impacto.

“A palavra câncer parecia caber somente aos outros, mas muito distante da minha realidade de nadador amador e com vida saudável. Portanto, foi um choque quando há cinco anos o meu exame Antígeno Prostático Específico, usado para detectar o câncer de próstata, apresentou índice elevado”, conta o administrador Alexandre Novaico. “Sem dúvida a atividade física – nado pelo menos três vezes por semana, além de fazer musculação – ajudou a manter a sanidade física e mental. Eu sabia que não poderia desabar e que deveria me manter saudável para superar da melhorar maneira possível esse desafio”, revela Alexandre, hoje com 59 anos.

As atividades aquáticas aumentam o retorno venoso, melhoram a circulação e facilitam os movimentos. É possível fazer um trabalho intenso na água sem agredir o corpo. “Eu dei sequencia aos treinos, apenas diminuí a frequencia e com menos intensidade.  E posso afirmar que manter essa rotina foi essencial, principalmente nos dias emocionalmente mais difíceis”, conta.

De acordo com o administrador, antigamente ter câncer era praticamente uma sentença de morte, mas a medicina evoluiu e é possível superar a doença sem sucumbir. “A detecção precoce é essencial e, portanto, os exames de rotina não podem ser procrastinados. Da mesma forma, é preciso fazer atividade física e manter uma alimentação saudável. No meu caso, existia a propensão hereditária. Não dá para negligenciar, pois a vida é muito especial para ser desperdiçada”, afirma.

Portanto, nesse novembro azul, vamos cair na piscina?

Texto: Nill Cavalcante, NC Assessoria de Comunicação

 

Não existem comentários, envie o seu