Marcus Mattioli: quatro décadas de muito amor

Atletas

É impossível pensar na minha vida sem a Cláudia (Viotti), afinal, são quase 40 anos de história. Nós nos conhecemos no Minas Tênis Clube. Naquela época eu morava nos Estados Unidos e estava treinando para os Jogos Olímpicos de Moscou (1980). Um dia a vi tomando banho de sol no clube e foi impossível não notar aquela mulher linda à beira da piscina, com olhos incríveis. Ela me arrebatou e foi amor à primeira vista.

Logo depois das Olimpíadas de Moscou parei de nadar e fui cuidar da minha vida. Abri uma academia, virei empresário e fiquei assim até 1985, quando decidi retornar às piscinas, mas em 1988 larguei novamente o esporte e fiquei quase duas décadas afastado. Neste meio tempo nos casamos e tivemos dois filhos lindos: o Rafael, hoje com 25 anos, que também é nadador, e o Gustavo, de 19 anos, que faz Direito.

E foi por medo de enfartar que voltei a nadar, em 2006. Durante o tempo em que estive parado, o meu filho Rafael começou a despontar na natação. No entanto, principalmente quando ele chegou à categoria sênior, o sobrenome Mattioli começou a pesar. Ele tinha uma expectativa enorme de ir bem e quando não correspondia ficava frustrado. Isso gerou nele grande ansiedade e, por tabela, eu ficava muito nervoso. Achei realmente que fosse enfartar! Após tentar sem sucesso começar a correr, sobrou a natação. Naquela época eu estava com sobrepeso e jamais poderia imaginar competir em alto nível. O fato é que não parei mais e cheguei inclusive a disputar um campeonato com o meu filho, o que foi motivo de imenso orgulho.

Não é fácil conviver com um atleta, ainda mais com um nadador, que tem um perfil mais introspectivo. Falta tempo para se dedicar ao relacionamento e muitas vezes é difícil conciliar a vida familiar, a profissão e os treinos. É preciso ter muito amor para aceitar muitas vezes estar em segundo plano. E com certeza a Cláudia é uma companheira incrível e que sempre me incentivou nos diferentes momentos da vida ao longo desses anos. Como ela também é desportista, trabalha como personal trainer, é uma mulher muito dinâmica e que gosta de praticar atividades físicas, isso me atrai muito, pois temos piques similares. Posso dizer que é o casamento perfeito!

Mas uma relação para durar tanto tempo, é claro, precisa ter muito amor e respeito. Tem que ter inteligência emocional para entender o outro lado, sabendo que não tem ponto de vista certo ou errado. Existe o que é melhor para os dois. Apesar disso, é lógico que a gente briga! Aliás, o segredo do casamento é brigar sempre (risos). O casamento não cai nunca no marasmo e estamos sempre nos reconciliando. Ela me trata mal e esse é o segredo (risos).

Cláudia, muito obrigado por me aturar nestes quase 40 anos. Você é linda de todas as formas e te admiro muito. Acima de tudo, muito obrigada pela família maravilhosa que você me deu. Eu te amo cada vez mais.

Por Marcus Mattioli, 60 vezes recordista mundial e eleito o melhor atleta master do mundo em 2007, 2013 e 2015.

Não existem comentários, envie o seu