Ítalo Manzine: estar na Olimpíada foi a realização de um sonho

Atletas

Participar dos Jogos Rio 2016 foi o auge da minha carreira até o momento. Todo atleta sonha em disputar este que é o maior evento esportivo do mundo e comigo não era diferente. Acabei concretizando esse sonho e é sempre uma imensa alegria quando atingimos um objetivo desta magnitude. É como se toda a dedicação e o sacrifício para chegar lá tivessem valido a pena. Esse sentimento de realização define bem como foi essa experiência para mim.

O fato de competir em um evento de altíssimo nível, no meio de atletas renomados como Michael Phelps, de ídolos brasileiros como Bruno Fratus e Arthur Nory, além de outras lendas como Usain Bolt, apenas para citar alguns nomes, foi muito especial. E a torcida, é claro, fez bonito. Um dos momentos mais marcantes foi estar na semifinal dos 50mts livre. Quando a bandeira nacional apareceu no telão do Parque Aquático todo mundo foi à loucura. O público gritando o meu nome foi indescritível. Os meus olhos encheram de lágrima neste momento. Depois da semifinal, quando encontrei o meu pai e a minha mãe, foi uma explosão de emoção. São acontecimentos que ficarão para sempre marcados na minha lembrança, essa vivência em um evento desta magnitude. Foi realmente único na minha vida.

Ítalo Manzine Duarte durante eliminatória dos 50 metros livre nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Foto: Satiro Sodré/SSPress.

Ter participado da Olimpíada no Rio de Janeiro foi parte do sonho, mas quero ir além e estar nos Jogos de Tóquio. Eu sei que exigirá muita dedicação e sacrifício ao longo dos próximos três anos. Mas estou focado, em 2020 estarei com 28 anos – ainda novo – e tenho certeza que estarei na minha melhor fase para buscar a medalha de ouro para o Brasil.

O maior legado foi a experiência que nós que participamos dos Jogos Olímpicos poderemos passar aos atletas mais novos. Sempre quando visito a minha cidade, que é Paraguaçu (MG), encontro jovens nadadores e tento passar a melhor imagem possível para eles. O caminho para chegar a uma Olimpíada é cheio de sacrifícios e doloroso muitas vezes, mas é possível e eu sou a prova disso. Esse é o verdadeiro legado! Transmitir esse conhecimento para os mais novos para que um dia eles possam ser melhores do que nós.​

Por Ítalo Manzine Duarte, nadador do Minas Tênis Clube e um dos principais velocistas da história da natação brasileira. Nas seletivas para os Jogos Rio 2016, foi ele quem desbancou o campeão olímpico César Cielo e garantiu vaga nos 50mts livre. Na Olimpíada o mineiro  foi semifinalista na prova e terminou em 15º no geral.

Não existem comentários, envie o seu