Fernando Scherer recorda o orgulho de representar o Brasil

Hammerhead

Para a maioria dos brasileiros, o feriado de 7 de setembro, dia da Independência do país, representa descanso ou viagem. Também faço isso, é claro! Mas, enquanto ex-nadador da seleção nacional, a data me remete aos momentos esportivos que vivenciei ao longo de quase duas décadas.

Quem é atleta sabe o quão arrepiante é vestir o uniforme da seleção brasileira. Em especial, quando as competições internacionais acontecem no Brasil, é indescritível a emoção de disputar uma prova tendo a torcida vibrando junto. Jamais esquecerei, por exemplo, o Campeonato Mundial de Piscina Curta no Rio de Janeiro, em 1995. Foi montada uma estrutura em plena praia de Copacabana e a arena ficou lotada. Diante desse público ensurdecedor conquistei duas medalhas de ouro (100mts livre e 4x100mts livre). Até hoje lembro do meu nome sendo ovacionado e do hino nacional sendo cantado por milhares de pessoas!

Mas essa é apenas uma recordação entre tantos momentos especiais que vivenciei enquanto nadador da seleção. Desde as primeiras medalhas de ouro em competições internacionais – 100mts e 4×100 mts livre no Mundial de Piscina Curta em Palma de Mallorca (1993), com o recorde mundial no revezamento -, passado pelo bronze no Mundial de Roma nos 4x100mts livre (1994), os dois ouros na Universíade nos 50mts e 100mts livre (1995), até a tão sonhada medalha olímpica – no caso, duas! -, com o bronze nos Jogos de Atlanta 1996, nos 50mts livre, e outro bronze nos Jogos de Sydney 2000, nos 4x100mts livre, sempre carreguei com muito orgulho a bandeira nacional para o pódio e me emocionei cada vez que o hino foi executado.

No entanto, ser competidor de ponta requer uma dura rotina de treinos e já não tinha mais motivação para isso em 2007, quando decidi me aposentar. Foi um passo bem pensado e parei na hora certa, ainda com ótimo desempenho e uma carreira paralela de empresário que se iniciava com a Hammerhead.

Enquanto ex-nadador, foram 16 anos representando com muito orgulho o Brasil em alto nível, inúmeras conquistas e infinitas recordações. Agora, como empresário, já são 20 anos em que permaneço ligado à natação, mas apoiando outros talentos nacionais, o que me deixa igualmente realizado.

Por Fernando Scherer, duas vezes medalhista de bronze nas Olimpíadas de Atlanta (1996) e Sydney (2000), detentor de sete ouros em pan-americanos, duas vezes campeão dos Jogos Universitários Mundiais, quatro vezes medalhista de ouro em mundiais e recordista no revezamento 4×100 metros livre.

Não existem comentários, envie o seu