Fernando Ernesto: exemplo de superação fora das piscinas

Atletas

Normalmente associamos o sucesso de um atleta de ponta à quantidade de conquistas que ele acumula durante a carreira. Mas algumas das maiores vitórias do nadador Fernando Ernesto Pires Santos foram obtidas fora das piscinas.

Um talento que despontou desde cedo nas piscinas de Presidente Prudente, o sonho de buscar melhores condições de treino e a mudança para Santos (2004) e posteriormente para São Paulo (2011), onde integrou a equipe do Corinthians. A história do nadador prudentino Fernando Ernesto Pires Santos, de 29 anos, é semelhante a de outros atletas que largam as cidades de origem e suas famílias para investir na carreira esportiva. E ele não poderia ter sido mais bem-sucedido nesta missão! Entre tantas conquistas, Fernando alcançou o título de campeão sul-americano nos 100 e 200m costas. O ano de 2013 foi mágico para o nadador, que ficou entre os top 20 do mundo, e o caminho rumo aos Jogos Rio 2016 parecia certo. Mas os principais adversários de Fernando estavam prestes a serem revelados.

“Em 2014, logo após o Mundial de Doha, descobri um nódulo da tire​o​ide que alterava muito os hormônios. Eu ficava muito cansado e não recuperava. Também tive problemas nos dois ombros e sentia muitas dores. Acabei ficando fora das olimpíadas por centésimos de segundo”, recorda.

Nas seletivas, ao saber que não havia conseguido o índice olímpico, Fernando começou a chorar. “Foi então que um garoto, também nadador talentoso, se aproximou de mim e disse que não era para ficar triste, pois nada apagava tudo o que eu já havia feito na minha carreira. Ele disse que era dedicado ao esporte porque via o meu exemplo nas piscinas”, conta Fernando. “Foi neste momento que entendi que as minhas conquistas pessoais, como ir às Olimpíadas, eram grandes, mas nada superava a minha influência positiva junto aos jovens nadadores”.

Fernando decidiu encarar todos os adversários de uma só vez. Operou o nódulo da tireoide, os dois ombros e ficou sete meses afastado dos treinos. Neste meio tempo decidiu voltar a Presidente Prudente para desempenhar o seu melhor papel: ser ​exemplo para os jovens nadadores prudentinos. Ele ministra palestras para crianças e adolescentes que sonham em obter as mesmas conquistas. “Eu tinha opção de ir para outros clubes, mas quis voltar para ajudar a disseminar o esporte no interior. Eles são muito carentes de ídolos, precisam desses exemplos positivos e serei esse modelo de superação para todos”, afirma. “É sempre maravilhoso passar essa experiência e esse incentivo para quem está começando, saber que eles podem chegar onde quiserem com o esporte. Muitas vezes pensei em desistir, mas faz parte do nosso crescimento. O importante é persistir sempre”, complementa.

E se engana quem pensa que Fernando abandonou as piscinas. Há dois meses ele retornou aos treinos e, como diz, o ciclo olímpico para 2020 já começou. “Consegui montar uma estrutura maravilhosa na cidade, com piscina, academia, fisioterapia e avaliações periódicas. Vou nadar pela prefeitura da cidade e com treinos do Felipe Domingues, de São Paulo. Eu já sei o que precisa ser feito para ser um atleta de alto rendimento e seguirei nesta trajetória”, afirma Fernando.

O objetivo do nadador é terminar o ano entre os oito melhores do país e continuar nesta crescente até os Jogos Olímpicos de Tóquio. “São os sonhos que nos movem. Temos que ter um objetivo e traçar um norte para alcançá-los. Isso vale para a vida. É acordar todos os dias e sair à luta. Quando você se dedica e conquista o seu objetivo, tudo terá valido a pena”, conclui.​

Fotos: Ana Aragão

Não existem comentários, envie o seu