Elinai Freitas: escolinha de triathlon rende belos frutos

Atletas

O triathlon sempre fez parte da história da minha família. A minha mãe (Naida Freitas, ex-presidente da Federação de Triathlon de Santa Catarina) foi quem deu início à modalidade em Santa Catarina, ainda na década de 80, e desde criança respiro esse universo. Era um grande sonho dela montar uma Escolinha de Triathlon, pois até então não existia projeto semelhante no Brasil. Em 2002, ao me formar em Educação Física, eu e um colega começamos esse projeto pioneiro no país.

​​O objetivo era difundir a modalidade e usar como ferramenta para iniciação desportiva para as crianças. Até 2007 cerca de 500 jovens passaram pela Escolinha. Um dos grandes talentos revelados neste período foi o Felipe Manente, que atualmente brilha nas provas de Ironman pelo mundo afora e é referência para as crianças e adolescentes que iniciam na modalidade. No entanto, devido a dificuldades financeiras para manutenção e viabilização das atividades, o projeto foi descontinuado de 2008 a 2010. O desejo de voltar estava preservado, mas faltava oportunidade. Ela veio em 2011, por meio do apoio da Fundação Municipal de Esporte e Lazer de São José e também da Unlimited Sports, que organiza a tradicional prova do Ironman Brasil e que passou a reverter parte das cotas de caridade para a Escolinha de Triathlon. Também contamos com o maravilhoso apoio da Hammerhead que fornece todas as toucas, óculos, squeezes, bonés e materiais para os alunos e atletas.

Nós reiniciamos do zero e, desta vez, com foco na iniciação esportiva. Atualmente atendemos cerca de 55 alunos entre 8 e 15 anos, sendo que as aulas acontecem na parte da tarde e os grupos são divididos em três. O primeiro nível é a escolinha, que não tem objetivo competitivo, mas sim, a formação de crianças e adolescentes usando o triathlon como referência. Eles treinam três vezes por semana, sendo um dia para cada modalidade. Os alunos que fizeram a iniciação e apresentaram aptidão por competição passam para o segundo nível, que é pré-equipe, e acima dos 14 anos é o grupo de treinamento, com até seis sessões de atividades, incluindo o sábado para os treinos de transição.

O resultado deste trabalho foi coroado no último Campeonato Brasileiro Infantil, realizado em Palmas, no Tocantins. Foi acima da expectativa e ficamos bem felizes com os resultados. Há dois anos trabalhamos para ter um campeão brasileiro e conseguimos na categoria 11 anos, com o Arthur Rossi. Já o Pedro Gabriel dos Anjos foi vice-campeão na categoria 10 anos. As meninas também foram maravilhosas e se superam cada vez mais. A Clara Martins da Silva foi vice-campeã na categoria 9 anos e a Maria Rita Padinha foi 3ª colocada na categoria 10 anos. O mais importante nesta fase é não cobrar resultado ou eles se cansarão. Queremos que todos se divirtam acima de tudo e o caminho ao pódio será progressivo.

Entre 2011 e 2015 foram atendidas cerca de ​200 crianças, contribuindo para o desenvolvimento psicofisicosocial desses jovens.​ ​Portanto, eu me sinto realizada por ter levado adiante o sonho da minha mãe, que deu o sangue e a vida dela pelo triathlon, deixando um grande legado para o esporte catarinense. Eu me sinto honrada por perpetuar esse belo exemplo que tive em casa.

Por Elinai Freitas, coordenadora da Escolinha de Triathlon em São José (SC)​

Não existem comentários, envie o seu