Dia Internacional da Síndrome de Down

Atletas

Por ano nascem no mundo todo 9,8 milhões de bebês com problemas de formação, sendo que a Síndrome de Down é a de maior incidência na área das síndromes genéticas, com 91%. No Brasil, o IBGE calcula que esse número seja de 300 mil. Para dar visibilidade ao tema e acabar com muitos mitos que ainda persistem em subestimar o potencial dessas pessoas, neste dia 21 de março é celebrado o Dia Internacional da Síndrome de Down, que acontece desde 2006.

Um dos grandes desafios dos deficientes é a inclusão social, já que ainda existe um grande desconhecimento por parte da sociedade em como lidar com esse público. Isso se reflete na atividade física em geral e, é claro, na prática da natação. Ainda são poucos os profissionais e os locais adequados a atender essa demanda. Mas, apesar de tantas adversidades, alguns atletas conseguem transpor as barreiras para se tornarem ídolos em suas modalidades.
Um dos maiores destaques da natação internacional DSISO, por exemplo, é brasileiro e faz parte do time de feras da Hammerhead. Caíque Aimoré se tornou tricampeão mundial nos 100m livre (1m07s28) na oitava edição do Mundial DSISO de Natação para Síndrome de Down – realizada no ano passado na Itália durante o 1º Trisome Games, a primeira Olimpíada para atletas com Síndrome de Down – e já acumula 21 medalhas em três participações no mundial.

Caíque é um exemplo entre tantos atletas que mostram que a maior limitação ainda é a falta de conhecimento quanto aos benefícios da prática da natação para quem tem Síndrome de Down. Muitos pais ainda ignoram os reflexos positivos do esporte para a qualidade de vida do deficiente. Além do endurecimento muscular, fortalecimento cardíaco e melhoria na coordenação motora, a atividade física é excelente como recreação e para socialização. Isso apenas para citar alguns quesitos! Mas, aos poucos, histórias como a de Caíque ajudam a provar que é possível superar as adversidades e ir além por meio do esporte, sem jamais subestimar a capacidade de superação que há em cada um de nós.

Não existem comentários, envie o seu